Guardian Nature School Team Contact Blog Project Noah Facebook Project Noah Twitter

A global community of nature enthusiasts
photographing and learning about wildlife

Join Project Noah!
nature school apple icon

Project Noah Nature School visit nature school

Pin-tailed Pondhawk / Falcão-da-Cauda-de-Alfinete

Erythemis plebeja

Description:

(Burmeister, 1839)

Odonata: Epipocrita: Anisoptera: Libelluloidea: Libellulidae: Sympetrinae

Sex: ♂

Hora / Hour: 11:27:47am.

Comprimento / Length: ~41 - 49mm.

Habitat:

Encontrada em uma reserva natural com trilhas e construções de madeira como pontes. Muitas árvores e vegetações intactas puderam ser vistas.

Found in a natural reserve with trails and wooden constructions such as bridges. Plenty of trees and unadulterated vegetations could be seen.

Notes:

Erythemis é um gênero de libélulas da ordem Odonata, subordem Epipocrita, infraordem Anisoptera, superfamília Libelluloidea, família Libellulidae e subfamília Sympetrinae.

Dissipando-se pelos trópicos, a população de Erythemis pebeja cresceu nas últimas décadas nos Estados Unidos, tornando-se uma espécie comum.

São encontradas em áreas abertas e pantanosas com poças, beiradas de canais, lagos e poças temporárias, todas com muita vegetação emergente ou flutuante onde podem acasalar e seguir o ciclo. É desconhecido se conseguem se reproduzir em poças temporárias.

As larvas são predadoras aquáticas como de praxe em Odonata, se alimentando de pequenos Arthropoda e muitas vezes girinos, e são possíveis canibais se necessário.

Na IUCN 3.1 (http://www.iucnredlist.org/details/16499...) seu estado de conservação está listado como "Pouco Preocupante" ("Least Concern"), no momento sem ameaças contra a espécie.

Você pode ver a distribuição da espécie no link acima:

"Nativa: Argentina (Buenos Aires, Chaco, Córdoba, Corrientes, Entre Rios, Formosa, Jujuy, Misiones, Salta, Santa Fé, Santiago del Estero, Tucumán); Belize; Bolívia; Brasil (Mato Grosso, Rio de Janeiro); Ilhas Cayman; Colômbia, Costa Rica, Cuba, Curaçao; República Dominicana; Equador; El Salvador; Guiana Francesa; Guatemala; Guiana; Haiti; Honduras; Jamaica; México (Baixa Califórnia do Sul, Campeche, Chiapas, Colima, Guerrero, Hidalgo, Jalisco, Distrito Federal do México, Michoacán, Morelos, Nayarit, Oaxaca, Puebla, Querétaro, Quintana Roo, São Luís Potosí, Sinaloa, Sonora, Tabasco, Tamaulipas, Veracruz, Yucatán); Nacarágua; Panamá; Paraguai; Peru; Porto Rico; Suriname; Trinidad e Tobago; Estados Unidos (Flórida, Téxas); Venezuela, República Bolivariana da Venezuela...", e possivelmente muito mais. Também são espalhadas na América do Sul e duvido que estejam restritas aos estados do Mato Grosso e Rio de Janeiro, mas esta dúvida também retorna para mim.

É daí que vem a dúvida sobre a espécie, mesmo sabendo que o estado de distribuição está, provavelmente, incompleto. A espécie está listada no Brasil mas não no estado em que a encontrei. A dúvida é levantada até que confirmações mais firmes sobre sua identidade surjam, tendo em consciência a falta de credibilidade nos estados de distribuição.

De acordo com a IUCN 3.1 elas produzem uma geração por ano.

A conexão entre as asas e as laterais do tórax são marrom-avermelhadas. A cor primária da libélula é preto. O nodus das asas anteriores estão localizados na metade da costa destas com um pterostigma de coloração escura presente próximo da ponta. O tórax e a maior parte da libélula são cobertos por grossos pelos negros. A face é constituída de grandes, negros olhos compostos, lábrum, anteroclipeus, posteroclipeus, mandíbula e antenas. Ocelos provavelmente presentes, mas não tenho certeza. O ventre contém mesepímero. Pernas negras feitas de coxa, trocânter, fêmur, tíbia, tarso e garras. Posterior a cabeça conectando-a com o tórax há o protórax.

O tamanho está entre 41 - 49mm. Aparentemente 10 segmentos abdominais estão presentes; os três primeiros são negros e inchados em machos maduros, e os segmentos 4 - 10 são delgados (https://bugguide.net/node/view/38512). Aparentemente, populações dessa espécie na Flórida foram introduzidas por atividades humanas e, supostamente, o primeiro relato da espécie foi em Miami em 1971 e, desde então, elas vêm se espalhando pelo Norte.

Como pode ser visto na terminália caudal do abdome, o sujeito retratado é um macho.

Os adultos são predadores aéreos de Arthropoda enquanto as larvas são, como anteriormente mencionado, predadoras aquáticas.

O gênero demonstra variações consideráveis nas características da genitália, coloração corporal e padrões alares. É sabido que estas características são afetadas por diferentes tipos de seleção que embaça seus sinais filogenéticos. Atualmente, dez espécies estão descritas para o gênero Erythemis.

Algumas espécies do gênero Erythemis são territorialistas e podem tolerar altas temperaturas. Os machos de algumas espécies mostram contínuos sinais de agressões interespecíficas durante o acasalamento e a caça (Baird & May, 2003) - https://www.researchgate.net/publication...

Catalogue of Life: http://www.catalogueoflife.org/col/detai...

ENGLISH VERSION HERE:

Erythemis is a genus of dragonflies in the order Odonata, suborder Epipocrita, infraorder Anisoptera, superfamily Libelluloidea, family Libellulidae and subfamily Sympetrinae.

Spreading throughout the tropics, the population of Erythemis plebeja has only grown in the past decades in the United States, becoming a common species altogether.

They are found in open marshy areas with ponds, edges of canals, lakes and temporary pools, all with plenty of floating or emergent vegetation where they can breed and proceed with the cycle. It is unknown whether they can breed in temporary pools or not.

Offspring are aquatic predators as common in Odonata, feeding on small Arthropoda and most likely tadpoles, and are possibly cannibals if needed.

Under IUCN 3.1 (http://www.iucnredlist.org/details/16499...) their conservation status is listed as “Least Concern”, with no threats currently endangering the species.

You can see the distribution on this species in the link above:

“Native: Argentina (Buenos Aires, Chaco, Córdoba, Corrientes, Entre Ríos, Formosa, Jujuy, Misiones, Salta, Santa Fé, Santiago del Estero, Tucumán); Belize; Bolivia; Brazil (Mato Grosso, Rio de Janeiro); Cayman Islands; Colombia; Costa Rica; Cuba; Curaçao; Dominican Republic; Ecuador; El Salvador; French Guiana; Guatemala; Guyana; Haiti; Honduras; Jamaica; Mexico (Baja California Sur, Campeche, Chiapas, Colima, Guerrero, Hidalgo, Jalisco, México Distrito Federal, Michoacán, Morelos, Nayarit, Oaxaca, Puebla, Querétaro, Quintana Roo, San Luis Potosí, Sinaloa, Sonora, Tabasco, Tamaulipas, Veracruz, Yucatán); Nicaragua; Panama; Paraguay; Peru; Puerto Rico; Suriname; Trinidad and Tobago; United States (Florida, Texas); Venezuela, Bolivarian Republic of Venezuela…”, and possibly many more. They are also spread in South America and I doubt they are restricted to the states of Mato Grosso and Rio de Janeiro, but this same doubt comes around.

Hence how unsure I am on the species, even knowing the distribution status is probably lacking. This species is listed for Brazil, but not in the state it was found. Doubt is raised until further confirmation on the true identity is given, taking in mind that the distribution status can be unreliable.

According to IUCN 3.1 they have one generation per year.

Connection between the wings and thorax's laterals are reddish-brown in coloring. The main color of the dragonfly is black. Wing nodus about halfway across the forewings’ costa with a pterostigma present in a dark coloring near the tip. The thorax and most of the dragonfly are covered in thick, dark hairs. Face made of large, compound and dark eyes, labrum, anteclypeus, postclypeus, mandible and antennae. Ocelli most likely present, but unsure. Underside contains mesepimeron. Legs are black and made of a coxa, trochanter, femur, tibia, tarsus and claws. Posterior to the head connecting it to the thorax there is the prothorax.

The size ranges around 41 - 49mm. 10 abdominal segments are seemingly present; first three are black and swollen in mature males, and 4 to 10 are slender (https://bugguide.net/node/view/38512) Apparently, populations of this species in Florida were most likely introduced by human activities and supposedly the first report of the species was in Miami in 1971 and it has since, very slowly, spread northwards.

As can be seen on the terminalia at the caudal end of the abdomen the subject portrayed is a male.

The adults are aerial predators of Arthropoda, while the larvae are, as previously mentioned, aquatic predators.

This genus shows considerable variations in genitalia characteristics, body coloration and wing patterns. It is known that these traits are affected by different kinds of selection that blur their phylogenetic signals. Ten species are currently known to be part of the genus Erythemis.

Some species in the genus Erythemis are territorialists and can tolerate high temperatures. Males of some species show continuous signals of interspecific aggressions during mating and hunting (Baird & May, 2003) - https://www.researchgate.net/publication...

Catalogue of Life: http://www.catalogueoflife.org/col/detai...

Species ID Suggestions



Sign in to suggest organism ID

No Comments

Oscar Neto
Spotted by
Oscar Neto

Fortaleza, CE, Brazil

Spotted on May 20, 2018
Submitted on Oct 1, 2018

Noah Guardians
Noah Sponsors

Join the Project Noah Team Join Project Noah Team